terça-feira, 24 de novembro de 2015

O quê??? O.O


Estava eu muito bem a explorar a parte dos New Releases do Spotify, quando me apareceu à frente esta musica:


E me apercebi de que estamos a 31 dias do Natal e de que estamos a uma semana de montar a árvore de Natal!! O.O Como é que tal coisa é possível?? Digam-me!!!

terça-feira, 13 de outubro de 2015

1* Projecto 10: 10 Factos Sobre a Minha Mãe

1. Consegue comer gelado o ano todo.

2. É espiritual.

3. É uma dorminhoca de primeira apanha.

4. Vê sempre o lado bom das pessoas.

5. Espera sempre demais dos outros.

6. É uma excelente cozinheira.

7. Gosta de ajudar os outros.

8. É das pessoas mais bondosas que conheço.

9. É a mais sábia das conselheiras.

10. É a melhor mãe do mundo. *.*


E pronto, é isto. Está feito o Primeiro Projecto 10. Muito atrasado, eu sei... Mas ao menos chegou não é!! :P Brevemente postarei o Segundo, fiquem atentos. ;)


Feliz Dia Mundial do Escritor!! :D



"Escreve-se para preencher vazios, para fazer separações contra a realidade, contra as circunstâncias"

Autor Desconhecido (Porque eu já não me lembro qual é :P)

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Surpresa 2# (Muuuuuito atrasada, eu sei...)



Não se se lembram deste post; e se bem se lembram, eu não cheguei a postar nada sobre a surpresa número dois. Para dizer a verdade, estive a esperar pelo momento certo...e se momento chegou ^^

domingo, 2 de agosto de 2015

OMG!! :O



Quem já ouviu o novo single dos One Direction?? É simplesmente linda *.* Mal posso esperar pelo próximo álbum O.O



sábado, 11 de julho de 2015

Surpresa 1# - Capitulo 4 - The Power of Love

À medida que me aproximava da grande porta que dava entrada para a mansão à qual chamava de minha casa, vários pensamentos me iam passando pela cabeça. “Será que eu tenho sido injusta com a mãe? Terá ela tentando proteger-me do seu sofrimento este tempo todo?” São perguntas ao qual iria, não tarda, obter resposta. Rodeia a chave na fechadura, abrindo a porta. Entrei dentro de casa. Bertha vinha da sala.
- Menina! Chegou mesmo a tempo do jantar. – Disse ela, sorrindo afavelmente.
- Não tenho fome, Bertha, mas obrigada. – Proferi, devolvendo o sorriso.
- Oh! Mas a menina tem de comer alguma coisa.
- Eu como qualquer coisa mais tarde, não te preocupes. – Tentei sossegá-la. – Onde está a minha mãe?
- Pronto, está bem! Mrs. Owen está na saleta desde que a menina saiu esta manhã. – Comunicou-me Bertha, algo preocupada.
Juntei os lábios numa linha.
- Obrigada Bertha! Eu vou ver como ela está! – Proferi, dando-lhe um beijo na testa e dirigindo-me para a saleta.
A divisão ficava numa porta perto da entrada para a sala. Dei dois toques na porta com uma mão e com a outra girei a maçaneta.
- Mãe? – Apelei.
Assim que entro na divisão vejo-a sentada na cheselong, a olhar pela janela.
Pousei a mala e o casaco em cima da mesa de escritório de madeira. Respirei fundo, dirigindo-me a ela e sentando-me perto dos seus pés, também virada para a janela.
- Mãe? – Apelei mais uma vez, afagando-lhe a perna.
Nesse momento, ela vira o rosto para mim. Tinha os olhos inchados. Uma pontada de culpa dilacerou o meu coração.
- Já chegaste! – Disse ela, dando um sorriso melancólico.
- Precisamos de falar. – Proferi, firme, mas gentilmente.
Ela desviou de novo o olhar para a janela.
- O que queres saber?
Virei o corpo para ela.
- O porquê. Só preciso de saber o porquê, mãe!
Ela olhou de novo para mim e sentou-se direita, encostada à cheselong.
- Eu… Eu não sabia lidar com a tamanha dor de perder o amor da minha vida e então, refugiei-me nas festas para tentar esquecer… - As lágrimas já ameaçavam cair dos olhos. – Mas não te queria deixar sozinha, estavas a sofrer tanto… E acabei por te “arrastar” comigo, pensando que estava a fazer o melhor. – Baixou o olhar. – Mas não era… E tu acabaste por ficar a pensar o pior de mim.- Abanou a cabeça, com as mãos a esconder o rosto. Deixou cair os braços pesadamente, ao longo ao longo do seu tronco. – Tenho de admitir que fiquei muito magoada com o que disseste esta manhã, mas não te censuro, aliás, seria incapaz de te censurar, afinal de contas, foram as minhas ações que te fizeram ter essa opinião. – À medida que falava as lágrimas caiam, tanto no seu rosto, como no meu. A minha mãe estava de rastos. Eu pus a minha mãe de rastos. – Eu fui egoísta, só pensei no meu sofrimento e na minha perda e esqueci-me que tinha uma filha, que também tinha perdido o pai…
- Não, mãe – interrompi-a, apertando a sua perna – tu pensaste em mim, tu própria já o disseste. – Ela olhava para mim, confusa. – Tu não querias deixar-me sozinha, por isso levavas-me às festas contigo. Mas ao mesmo tempo, deixavas-me sozinha na mesma. Quer dizer, eu sentia-me sozinha na mesma. – Ela baixou de novo o olhar. – E eu só precisava de ti, do teu colo. – A minha mãe começou a soluçar, com os olhos marejados de lágrimas.
Levantei-me e incitei-a a chegar-se para o lado, para eu sentar-me mais perto dela. Pus um braço à volta dos seus ombros, afagando o mesmo. Ela encostou a cabeça no meu ombro, chorando cada vez mais. E eu chorei com ela, silenciosamente.
Ficámos assim largos minutos até que ela se afasta ligeiramente, pegando nas minhas mãos.
- Perdoa-me por tudo o que te fiz passar! Perdoa-me, por favor! – Pediu-me, suplicante.
Eu olhava para ela, ternamente.
- Eu não preciso de te perdoar por nada, mamã. – Acariciei o seu rosto. – Tu só tentaste fazer o melhor para mim e eu não conseguia ver isso. Por isso, eu é que tenho de te pedir perdão.
Ela levou também uma mão ao meu rosto, sorrindo melancolicamente.
- Há tanto tempo que não me chamavas “mamã”. – Dei uma pequena gargalhada.
Nesse momento, sinto os seus braços envolverem-me, fazendo-me soluçar um pouco.
- Amo-te muito, muito, muito! – Sussurrou ao meu ouvido.
- Também te amo muito, mamã. – Apertei-a mais nos meus braços.
De repente, ouve-se alguma coisa roncar, fazer ambas gargalharmos, quebrando o abraço que partilhávamos.
- Acho que estou com fome. – Murmurou a minha mãe acariciando o seu estômago.
Eu ri um pouco.
- Por acaso eu também. - Admiti. – Porque não vais tomar um banho e eu vou pedir à Bertha para servir o jantar?
- Aceito! – Disse, sorrindo mais abertamente. Parecia mais leve.
Levantou-se da cheselong, encaminhando-se para a porta.
- Mãe! – Apelei. Ela virou-se para mim. – A partir de agora, sempre que alguma de nós tiver algum problema ou estiver a sofrer por alguma razão, vai ter com a outra.
Quando acabo de falar ela dirige-se outra vez a mim, sentando-se há minha frente e estica o dedo mindinho.
- Prometo. – Eu sorri e entrelacei os nossos dedos mindinhos.



Esta foi a primeira demonstração de amor entre a Kate e a mãe.
Espero que tenham gostado ^^

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Uma já foi!



Passei a uma disciplina à qual tive de ir a exame, por ter chumbado no final do semestre, o que me deu mais alento para passar às outras duas.

VOU CONSEGUIR, NÃO ME CHAME EU ANA MARGARIDA!!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Music of The Week (30)



Diogo Piçarra - Verdadeiro

Não tenho palavras para descrever o quanto esta musica é linda *.* Aliás, toda a discografia que ele tem é simplesmente espectacular.

Digam-me, o que é que acham dele e das suas musicas? :)

Favoritos de Verão!!


Finalmente o Verão chegou. Pois é, e nesta época do ano (tal como em todas a outras :p) encontramos coisas que gostamos muito, muito, muito, e outras que não gostamos nada, nada, nada. Isso mesmo, o post de hoje, como já devem ter reparado, é sobre os Favoritos de Verão, ou seja, vou partilhar com vocês o que me deixa mais extasiada nesta época do ano. ^^

Ora, cá vai:

domingo, 21 de junho de 2015

Finalmente!!!


E, finalmente chegou o Verão!!!!! :D

Capitulo 3


Quando cheguei ao cemitério, encontrei um homem ajoelhado ao lado da campa do meu pai. Aproximei-me.
- Tio?
- Katie! – O homem ergueu-se e abraçou-me.
Eu retribui, fechando os olhos com força.
Ele afastou-me ligeiramente, olhando-me de cima a baixo.
- Estás tão crescida, querida.
Eu ri, abraçando-o mais uma vez.
- Então? O que fazes aqui na vila, afinal? – Perguntei, sentando-me ao seu lado num banco.
- Vim visitar a minha sobrinha preferida. Porquê? Não posso?
- Eu sou a única sobrinha que tens, e emprestada, mas pronto. – Proferi, encolhendo os ombros.
Ele riu-se.
- Agora a sério – recomeçou. – Vim tratar de uns negócios, com a tua mãe, e aproveitei para visitar a campa do teu pai, já que hoje…enfim. – Baixou a cabeça e passou a mão pelo cabelo.
- Eu sei, tio, eu sei. – Afaguei-lhe o braço.
 Ficámos uns minutos em silêncio.
- A tua mãe contou-me o que aconteceu esta manhã!
Fiz um movimento de impaciência com a cabeça.
- Não quero falar sobre isso agora, tio.
- Temos de falar, Kate. – Ripostou, olhando-me gravemente. – A tua mãe está mal com o que aconteceu e está magoada.
- Com o quê? Comigo? Eu é que estou magoada com ela tio, e muito. Ela esqueceu o papá e só ainda passaram 2 anos.
- Não Kate, ela não esqueceu. Como é que podes dizer isso? – Disse o meu tio, em tom reprovador.
- Ela esqueceu-se do que o dia de hoje significava, a sua única preocupação era o que ia levar vestido na festa de hoje… - Baixei a cabeça, uma lágrima já ameaçava cair.
- Oh! Kate! É a forma da tua mãe lidar com a dor. Ela amava o teu pai…
- Não, não amava tio, ela usou-o…
- Chega! – Disse, levantando-se do banco de rompante. – Chega Kate! Tu não falas mais assim da tua mãe, nunca mais, ouviste! Ela não merece…
- E eu mereci ser arrastada para todas aquelas festas, quando estava a sofrer pela morte do meu próprio pai?! Eu nunca vi ela deitar uma única lágrima, nem no funeral…
- Ela apenas não queria que tu a visses chorar, ela só chorava no quarto, sozinha, ou comigo, na saleta. E só te levava às festas porque não te queria deixar sozinha.
- Mas deixou na mesma, tio. Eu não precisava de festas para não me sentir sozinha, só precisava dela… - Disse eu, e desatei a chorar.
- Oh! Katie! Anda cá! – Sentou-se de novo ao meu lado e puxou-me para si.

- Obrigada pela bolei, tio. Agradeci, inclinando-me para lhe dar um beijo de despedida.
 - Não tens de quê, querida. Eu depois mando vir cá trazer a Scooter.
Assenti e abri a porta do carro, preparando-me para sair.
- Katie! – Olhei para trás. – Fala com a tua mãe, sim?
Respirei fundo, fechando os olhos.
- Prometo. – Dei um pequeno sorriso e saí do carro. 




Aqui está o Capitulo 3. Se tiverem sorte, é capaz de haver um Capitulo 4 daqui a três semanas. ;)
(Sim, só daqui a três semanas... É quando já estou despachada dos recursos...)

Outros capítulos:

quinta-feira, 18 de junho de 2015

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Incrivél...


Os professores não podem mesmo ver me descansada... Têm sempre de arranjar trabalho...
Exame de Geografia, aqui vamos nós!!!!! -.-'



terça-feira, 9 de junho de 2015

Quase dois meses depois...




Tenho tanta coisa para vos contar que nem imaginam! Desde encontros, desencontros, decisões difíceis, preocupações, alegrias, medos, tudo... Mas agora que terminei todos o semestre, vou ter muito tempo para vos contar tudo ^^
Em primeiro lugar, gostaria que soubessem que a The Power of Love irá continuar (juro-vos que estou a tratar disso), assim como todas as rubricas. Quer dizer, uma ou outra vai deixar de existir, mas outras vão aparecer. Vou, também, começar a escrever sobre as minhas leituras de Verão e também sobre as séries que vou vendo. Por isso, como podem ver, estes próximos meses vão ser bem ativos (espero eu O.O).
Ah! E também vão haver umas pequenas mudanças no visual do blog ^^

domingo, 26 de abril de 2015

TAG: 50 Coisas Sobre Mim!


Decidi trazer a TAG 50 Factos Sobre Mim para o Me And The Romance. Todos os dias (ou não :/ ) postarei um facto sobre mim, e assim, vão ficar a conhecer-me melhor ^^ Amanhã postarei o primeiro facto.

Para Repetir! ;)


A semana que passou, desgastou-me muito psicologicamente, foi uma semana complicada... Contudo, não podia acabar de melhor maneira, senão com uma noite de pura diversão, descontracção e dança, muita dança. E a isso devo a duas raparigas espectaculares ^^ Foi uma noite que nunca esquecerei e que, com certeza, vai ser para repetir muitas vezes.   

sábado, 11 de abril de 2015

Capitulo 2

- Então? O que se passa? Estás muito calada hoje. – Perguntou-me Mary, quando saímos da primeira aula. – Discutiste outra vez com a tua mãe, foi?
Dirigi-mo-nos aos cacifos. Respirei fundo, abrindo o meu.
- Porque é que tu me conheces tão bem? – Murmurei. Ela sorriu, em resposta. – Hoje fazem dois anos que o meu pai morreu, e ela nem se lembrou, e ainda teve a lata de me falar sobre a festa desta noite. Mais uma a que ela me quer arrastar. – Contei, enquanto colocava os livros da primeira aula no cacifo.
Ela colocou uma mão no meu ombro, apertando-o ligeiramente e, quando ela ia dizer algo, alguém clamou:
- Kate!
Olho para traz.
- Eric! Olá!
Ele sorriu.
- Está tudo bem? Parecias triste há pouco, na aula.
- Ah! - Murmurei, trocando um olhar com a Mary. – Sim, só estou a ter um dia menos bom.
- Hum… - Ele olhou-me com ar de desconfiado. – Tens alguma coisa combinada para depois das aulas? – Perguntou-me, mudando de assunto.
- Não, porquê? – Respondi, trocando um olhar com Mary, de novo.
- É que estou com umas dúvidas na matéria de Matemática. Achas que nos podíamos encontrar, depois das aulas, para me ajudares?
- Ah! Claro. A que horas?
Vi um sorriso formar-se no seu rosto.
- Às três, no Mario’s?
- Ok. Lá estarei. – Sorri.
Ele continuava a sorrir.
De repente, vejo o seu rosto aproximar-se do meu e a deixar um beijo na minha face. Começo a sentir o meu coração a bater muito rapidamente.
- Então, até logo!
- Até logo! – Murmuro, em resposta.
Quando ele se afastou, levei a mão ao rosto, acariciando com a ponta dos dedos, o sítio onde ele tinha deixado o beijo. O meu coração continuava acelerado.
- Uau! O que foi isto? – Ouvi Mary dizer. – Kate?
- Hã? O que foi? – Murmurei, acordando daquele pequeno “transe”.
- Ui! Não me digas que já estás apanhadinha por ele?
- O quê? Por quem? – Perguntei, fechando o cacifo.
- Pelo Eric, Kate!
- Áh! Não, claro que não.
- Pois, mas parece. Ficaste toda derretida, quando ele te deu aquele beijo.
- Não fiquei nada.
Ela riu-se.
- Então porque estás a corar?
- Oh! Porque… - Nesse momento, o toque de entrada suou, salvando-me das explicações. – Olha, vamos mas é para a aula. – Proferi, começando a caminhar.
- Ok, mas não penses que esta conversa fica por aqui.
- Sim, mamã… - Murmurei, sorrindo e revirando os olhos.

Estacionei a scooter à frente do Mario’s, do outro lado da estrada, por volta das 15h05. A esplanada estava cheia. Apesar de se sentir uma aragem gelada na rua, o Sol resplandecia, quente e acolhedor.
Atravessei a rua e galguei o pequeno gradeamento de ferro que protegia a esplanada. Entrei dentro do estabelecimento e olhei em volta, em busca de Eric. Caminhei até ao balcão, onde se encontrava Mario, o dono do negócio ao qual dera o seu nome; um homem nos seus quarenta e poucos anos, com uns quilinhos a mais e um bigode negro, da qual ele se orgulhava muito.
- Olá, Mário! – Cumprimentei-o, sorrindo. – Por acaso não sabe se o Eric já está por aqui?
- Sim, sim! Chegou á uns minutos. Está ali, naquela mesa do canto. – Respondeu-me, sorrindo, e apontou para o sitio que estava a falar.
Olhei nessa direção. Lá estava ele, sentado numa pequena mesa quadrada, de madeira, encostada à parede de tijolo, concentrado nos livros.
- Obrigada. – Disse eu, sorrido.
- De nada, querida. Olha, queres alguma coisa?
- Hum… Pode ser um café, obrigada.
- Está bem! Já vou levar.
Assenti e caminhei até àquela mesa, parando em frente a ele.
- Olá! – Murmurei.
Ele olhou para cima e o seu rosto pareceu iluminar-se. Eu sorri.
- Oh! Olá! Senta-te.
Sentei-me, retirando os livros de matemática da mala.
- Estou muito atrasada? – Perguntei.
- Não, eu também só cheguei à uns minutos. – Respondeu ele, dando uma olhadela ao relógio.
Eu assenti.
Passado uns minutos, o meu café chegou, a fumegar numa chávena de chá redonda.
- Então? Em que tens duvidas? – Perguntei, bebericando um pouco do meu café.
- Ah! Bem, na matéria do T.P.C., não percebo nada. – Respondeu-me, coçando a cabeça.
- Ok. Então vamos fazê-lo em conjunto, para ser mais fácil.
Ele assentiu, mirando-me com os olhos a brilhar.
- Ora, então vamos lá. – Murmurei, abrindo o caderno e sorrindo mais uma vez.
Uma hora e meia depois, fechámos os livros e decidimos pedir alguma coisa para comer. Um prato de crepes, enrolados em triângulo, recheados com compota de morango, foi o que escolhemos, para partilhar.
- Então, vais contar-me o que tinhas esta manhã? – Perguntou-me ele, a certa altura.
- Hum… - Murmurei, limpando os lábios com o guardanapo.
- Bem, se não quiseres contar não faz mal, estás no teu direito. – Apressou-se a dizer, encostando-se na cadeira.
- Não, eu quero contar. – Proferi, colocando a mão no seu antebraço, retirando-a rapidamente a seguir.
- Ok. – Ele assentiu, recostando-se na cadeira.
Olhei-o nos olhos. Eram tão bonitos e…sinceros e acolhedores, estranhamente acolhedores. Fizeram-me sentir que podia contar-lhe tudo… E contei.
A meio da história ele arrastou a cadeira para mais perto de mim, segurando a minha mão. Quando acabei de falar, deixei escapar uma lágrima, imediatamente limpa pelo dedo gordo de Eric.
- Desculpa. Murmurou, deixando ficar a mão no meu rosto.
- Porquê? – Perguntei, olhando-o nos olhos.
- Porque não estive lá quando mais precisaste, porque te ignorei e desprezei, em vez de te ajudar.
- Não, tu não me desprezaste, só de olhares para mim sem ser com pena, já me estavas a ajudar.
- O quê?
- Ao contrário de todos os que me ignoravam, tu não me olhavas com pena, só me transmitias força, era como se me estivesses a dizer que compreendias o que eu estava a sentir.
- A sério?
Eu assenti. Um pequeno sorriso apareceu nos seus lábios. A sua mão continuava no meu rosto. Vi os seus olhos baixarem para os meus lábios. Entreabri os lábios, suspirando ligeiramente. O seu rosto ia aproximando-se, mas, quando estava quase a beijar-me, o meu telemóvel começa a tocar. Eu baixo a cabeça… E ele encosta a sua à minha.
Tiro o telemóvel da mala e olho para o ecrã. “Tio Martin”.
- Ah! Importaste que eu atenda? – Pergunto, apontando para o telemóvel.
- Não, claro que não. Estás à vontade. – Respondeu-me Eric, que já se encontrava no seu lugar original.
Assenti, deslizando o botão verde para a direita e colocando o telemóvel no ouvido.
- Olá, tio!
- “Olá, Katie!”
Eu sorri.
- “Como estás, querida?”
- Bem, dentro dos possíveis.
- “Hum… Olha, cheguei agora ao cemitério, porque não vens ter comigo, para falarmos?”
- Mas tu estás na vila?
- “Sim, cheguei na hora do almoço. Então? Vens ter comigo ou não?”
- Ah! Sim, claro. Estou aí em 15 minutos.
- “Está bem! Então, até já!”
- Até já, tio!
- Era o irmão do teu pai? – Perguntou-me Eric, assim que desliguei.
- Não, era o melhor amigo e um grande amigo para a família. Ajudou-me muito, quando o meu pai morreu. – Guardei o telemóvel na mala, assim como os livros. – Bem, tenho de ir andando. - Anunciei, levantando-me.
Ele levanta-se também.
- Obrigada por me teres ouvido. – Disse eu.
- Eu é que agradeço, por teres confiado em mim. – Respondeu ele.
Eu sorri.
Por momentos, congelámos, ali, os dois, a olhar-nos, profundamente, até que eu, por fim, “acordo”.
- Bem, tenho mesmo de ir. – Anuncio, mais uma vez, ajeitando a mala no meu ombro. – Até amanhã!



Para quem ainda não leu: Capitulo 1.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Carta de Aniversário

Querido Blog,
Hoje é o teu segundo aniversário e, como não poderia deixar de ser, gostava de assinalá-lo de alguma forma, pelo que decidi escrever-te esta carta, para te agradecer todo este tempo que passámos juntos...
Posso começar por recordar a primeira vez em que me apareceste no pensamento, quando, no meio de uma pesquisa, me deparei com um blog, parecido contigo, e pensei "Adorava ter uma coisa destas para mim". E assim foi, numa hora foste ganhando forma, e as ideias na minha cabeça foram ganhando faisca.
Contigo fui partilhando alguns momentos da minha vida, assim como algum dos meus devaneios que iam aparecendo aleatoriamente. Contigo, partilhei o meu gosto pela escrita, que nunca consegui mostrar, devido à minha falta de palavras, sempre que queria escrever sobre um assunto.
Um ano depois, foste alvo de novas mudanças, tanto de visual como de conteúdo; foste descobrindo a tua essência, a tua inspiração.
Neste, que é o teu segundo ano de vida, és portador de novas historias e, hoje em dia, já sabes o que te inspira e já encontraste o teu rumo. E eu descobri o meu, junto contigo. Estamos mais maduros e mais fortes, com os mesmos medos, mas fortes.
É por tudo isto, e por muito mais, que te agradeço, e peço desculpa se nunca te dei a atenção que devia...
Mais uma vez, Obrigada!

Ana Margarida.


segunda-feira, 30 de março de 2015

sábado, 28 de março de 2015

The Power of Love - Capitulo 1



Desculpem o desaparecimento... Não tenho tido muito tempo (ou vontade :/) Desculpem...
Mas enfim, não foi por isso que vos vim escrever, como já devem ter reparado. Depois de longos dias, semanas e afins, ganhei coragem e acabei de passar o primeiro capitulo a computador.
Espero que gostem tanto dele como eu ^^
Deliciem-se:

quarta-feira, 4 de março de 2015

Cinderela *.*


Hoje faz 65 anos que estreou a Cinderela! *.*  É nestes dias que acho que já estou a ficar velha :(

Dia Mundial da Matemática O.o


Segundo a Rádio Comercial, hoje é o Dia da Matemática. Ora quem foi que se lembrou de homenagear uma coisa tão complicada e que (aparentemente o.o) não serve para nada?
Enfim, há malucos para tudo. :P
Mas, como este é um dia "especial" para a Matemática, gostava de deixar aqui uma pequena dedicatória ^^ :P :

Querida Matemática, sei que temos uma relação de amor/ódio, mas queria que soubesses que não guardo rancores e que parece que, realmente, serves para alguma coisa. 
Aproveita bem este, porque não é todos os dias que tens dias dedicados a ti.
Beijinhos ^^

segunda-feira, 2 de março de 2015

O.O

Cá estamos nós outra vez em Março... Realmente, ainda ontem era Natal e já estamos em Março... Enfim... Ao menos é mês em que começa a Primavera, muda a hora; é o mês em que reaparece o Sol (supostamente :-/ )
Excelente mês de Março, pessoal! ^^

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Sobre a Nova História! :D


Lembram-se deste post? Pois é, está na hora de ouvirem falar sobre a dita nova história:

E assim se passou mais um Carnaval...!


Pois é, o Carnaval de 2015 já se foi... Devo admitir que nem saí de casa este ano (Ok, saí ontem, mas não fui para o Carnaval :-P ), nem me mascarei, nem fui a nenhum desfile, e não me arrependo, porque também me diverti muito em casa. Mas espero que os(as) minhas/meus caros(as) leitoras/leitores se tenham divertido e aproveitado bem este Carnaval! :-)
Para o ano há mais! ^^

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Music of The Week (29)


Ellie Goulding - Love Me Like You Do

Em honra à grande estreia desta semana, As 50 Sombras de Grey, a musica desta semana é a Love Me Like You Do, da Ellie Goulding, que eu achei simplesmente maravilhosa desde o primeiro segundo em que a ouvi *.*


Ok, acabei de mudar o visual do blog. Queria deixá-lo um pouco mais romântico... Consegui? :-/ O que acham? Gostam? Devo fazer alguma alteração nas cores? :-/ Sugestões são bem vindas na caixa de comentários ^^ 

Inspirações...

Acabei agora de ver um filme que me inspirou profundamente... 
Stuck in Love, uma história que fala sobre o amor, essencialmente, mas que nos mostra várias das suas vertentes, umas boas e outras más. Mostra-nos uma história de divorcio que marca a relação de uma mãe e da sua filha, e especialmente, a vida de três escritores de idades distintas, e foi isto que me marcou mais neste filme, ver cada um destes escritores,  com "lutas" diferentes... O que me fez pensar na minha... Na vontade de escrever, nas ideias que fluem em mim, mas que não as consigo passar para papel, na vontade de publicar, e no medo da rejeição, ou, por vezes, da própria aceitação... Este filme fez-me pensar nisso tudo e fez renascer a vontade de escrever e de lutar à muito adormecidas. E, filmes destes não se vêem todos os dias, garanto-vos...
Deixo-vos agora o trailer deste filme. Fico contente se inspirar também algum escritor que anda por aí perdido na blogosfera :-)I


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Balanço do primeiro semestre! :/ & Algumas mudanças de espírito...


O que dizer sobre o primeiro semestre? Hum...! Foi o primeiro de uma grande aventura! Entrei num ambiente novo, conheci pessoas novas, aproximei-me de pessoas (pessoa :P ) que nunca pensei que me viessem a fazer tão bem como estão a fazer..., fui praxada, escolhi as minhas madrinhas de curso e fui "baptizada". Tirando todas estas coisas, também foi um mês de algumas lágrimas, devido a alguns chumbos, que me fizeram, mesmo, abrir os olhos e me fizeram "acordar para a vida". 
Com isto tudo, não digo que foi o melhor semestre da minha vida, mas sim que foi um semestre de aprendizagens, que me enriqueceram profundamente.

Quanto ao semestre que hoje se iniciou, prometi a mim própria que, a partir daqui, me vou entregar completamente aos estudos e aos trabalhos, não me deixando levar pelo "ah! não me apetece, faço amanhã...", e que, no momento que tal coisa me passar pela cabeça vou pensar "Estuda agora e fica orgulhosa de ti depois"...






domingo, 8 de fevereiro de 2015

Top 5 - Apps Favoritos!


Ora bem, hoje vou partilhar com vocês algumas das aplicações que se tornaram imprescindíveis no meu telemóvel. :P
No caso de as terem instalado nos vossos telemóveis também, devido ao meu post :P , por favor, digam-me o que acharam e se gostaram. No caso de já as terem antes deste post, por favor, digam-me se estão satisfeitas e se vos têm dado jeito ^^
Enfim... Chega de conversa fiada :P Vamos lá ás aplicações:

(Atenção! O que vão ler a seguir é um Top 5, sim senhora, mas não está por ordem de preferência!) 

- We Heart It -
Não sei se já ouviram falar deste site (que tem uma aplicação para o telemóvel), mas é dos melhores sites de imagens/fotos em que eu já me inscrevi *.* E dá um jeitáço ter no telemóvel :P (Todas as imagens que ponho nos meus post são retiradas deste site ^^)

- TVShow Time -
Bem, eu li sobre esta aplicação no blog do Jota, o Brisa Passageira, instalei-a e fiquei completamente rendida. Esta aplicação dá mesmo muito jeito, porque assim sabemos sempre em que episódio estamos nas nossas séries favoritas. Recomendo ^^

- Cute Calendar Free
Sobre esta li no blog da Daniela, não a instalei logo, mas depois comecei a ter necessidade de calendarizar os meus postes em qualquer lado e lembrei-me desta aplicação. É muito boa, porque para além de dar para "ilustrar" as nossas marcações, também tem um alarme que nos avisa sempre que temos alguma coisa agendada.

- Agenda do Estudante -
Mais um calendário sem o qual já não conseguiria viver. Ora esta aplicação permite-nos registar as nossas notas de testes, trabalhos, etc., o nosso horário, e calendarizar as datas dos testes, de entrega de trabalhos, etc. Para além disso, também nos ajuda a saber o que temos a fazer num determinado dia, com a sua lista de tarefas.

- Monster Busters -
Por ultimo, temos um jogo que eu instalei à muito pouco tempo no meu telemóvel e que já se tornou um dos meus favoritos. É parecido com o Candy Crush, mas com mostros, cujo objectivo é salvar os homens de gengibre. Sim, leram bem, homens de gengibre. É muito giro, acreditem :P


E pronto, estes são os meus apps favoritos, e espero que se tornem também os vossos ^^





Escusado será dizer que tirei a ideia para este post, do blog da Daniela, que também fez um post com o mesmo tema ^^  





terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Play List do Momento!


Desde que ouvi a Sugar pela primeira vez que eles me conquistaram, e agora o álbum novo deles acompanha-me para todo o lado *.*

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O mês mais pequeno do ano! :/


Ora, hoje começa o mês mais PEQUENO do ano. E, apesar de pequeno, espero que seja GRANDE em gargalhadas, brincadeiras, motivações, máscaras, e muito mais.
Bom Fevereiro! ^^ 

domingo, 25 de janeiro de 2015

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

"Estás mesmo a gostar do curso?"


Ontem a minha irmã fez me essa pergunta... À qual eu respondi sim... O que não é totalmente mentira... É claro que eu estou a gostar do curso, o problema são certas cadeiras que não têm nada a ver com o que eu quero fazer, ou melhor, com o que eu vou fazer. Vou me explicar melhor: eu estou a tirar a licenciatura em Educação Básica, para depois, no final dos três anos, tirar o mestrado em Educação Pré-escolar, e à uns anos, havia mesmo a licenciatura em Educação Pré-escolar, que eu quero mesmo. Mas agora, tenho de passar primeiro pelo geral, que é Educação Básica, e depois sim, seguir a "especialidade". E por causa disto, estou a desleixar-me e a ter notas baixas, tão baixas que vou ter de ir a pelo menos dois exames (Sim, já chegou aos dois -.-') este semestre. Mas enfim, no próximo semestre vai ser melhor. ;)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

8 razões para ler (livros a sério)

 
Hoje, enquanto estava a fazer uma "pequena" pausa dos estudos, a passear pelo Facebook, dei de caras com uma publicação da Bertrand, em que esta divulgava uma noticia do site do jornal Sol, cujo titulo era "8 razões para ler (livros a sério)" e pensei "Bem, isto dava um excelente post para o Me and The Romance!!" E isto porquê? Ora então, vocês sabem que eu adoro ler e fico sempre espantada quando alguém me diz que não gosta de ler e, quando isto me acontece eu tento sempre persuadir a pessoa para passar para o "clube dos leitores" e, bem, quando vi esta publicação pensei logo que seria uma boa desculpa para trazer este assunto também para o blog e, talvez, levar os meus estimados leitores a agarrarem-se a um bom livro.
Ok, não vos vou massacrar mais com as minhas divagações :P Fiquem agora, com estas 8 razões para ler:
 

sábado, 17 de janeiro de 2015

Bolo Caneca da Daniela!



Na quinta-feira, estava eu num momento de descontracção a explorar o blog da Daniela Nogueira, o (Des)Apontamentos, quando encontrei uma receita genial e super fácil de um bolo de caneca de chocolate e canela. No dia a seguir, à tarde (ontem), decidi fazê-lo, e, bem, aqui está o resultado:

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

:/


PESSOAL!
Estou a pensar em acabar a história Will Calm Storm :/ E começar outra :D
A Will Cal Storm já não me está a fazer muito sentido, sabem...e também já não a actualizo à muito (mas muito) tempo. Por isso, vou apagá-la do blog e deixá-la mais uns tempos de lado. Talvez a reformule e volte a postar aqui...
Quanto à história nova...dou novidades sobre a mesma BREVEMENTE ^^ 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Férias?!

 
Hoje foi o último dia do 1º semestre do 1º ano! Devem estar pensar "Ah! Ela acabou o semestre, logo está de férias." Não, meus caros leitores... Infelizmente ainda vou ter de fazer um exame (em principio O.O), por isso, acho que estas semanas não vão ser nada parecidas a férias... Mas enfim... Pensamento positivo 😉

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Balanço do Ano 2014

2014... O que dizer? 
Bem, 2014 foi um ano cheio de surpresas, algumas decepções, novos amigos, algumas (muitas :P) lágrimas... Foi um ano difícil, também... Mas consegui ultrapassar tudo com um sorriso na cara. Surpreendi-me a mim própria, por ter conseguido safar-me relativamente bem nos exames, por ter conseguido entrar na faculdade e no curso que queria, e por me ter conseguido habituar bem ás viagens de autocarro.
Em relação ao blog, consegui publicar mais posts do que em 2013. 
Apesar de não ter sido um ano fácil, foi um ano relativamente bom, em certos aspetos... E obrigada a todos vocês por terem feito parte dele :D
Que 2015 seja melhor (muito melhor O.O) que 2014!

Desejo a todos os meus queridos leitores, um excelente 2015, cheio de coisas boas :D