domingo, 28 de abril de 2013

Capitulo 4


- Meninos, venham cá! Temos visitas – ouvimos o liam gritar.
Afastámo-nos rapidamente, assustados.
- Ahm! Vou buscar toalhas. – Disse ele, atabalhoadamente.
Assenti. Encostei-me à bancada. Ele volta, com as toalhas na mão. Limpámo-nos rapidamente e fomos ter com eles à sala.
Quando chegamos lá, estavam todos muito divertidos e adivinhem quem era a tal visita. Sim, era o Tom. Não fiquei muito surpreendida pois, o Tom e o Zayn sempre foram muito amigos.
Primeiro, ele foi cumprimentar o Zayn, com um abraço, e depois cumprimentou-me com um beijo na face e um “Olá, Cat!”. E, é claro que retribui ao seu cumprimento, dizendo:
- Tom! Não sabia que eras amigo dos One Direction.
- É. Há muita coisa que ainda não sabes. – Declarou, sorrindo e piscando o olho.
“Onde será que esta gente foi buscar esta resposta tão boa?”, pensei eu. E era verdade, já o Zayn me tinha dito aquilo…

Fomos sentar-nos. O Tom sentou-se onde estava, eu sentei-me no meio do Liam e do Niall e o Zayn sentou-se num sofá, sozinho.
Durante todo o tempo em que estive ali o Tom e o Zayn estavam sempre a olhar para mim. Como aquilo estava a ficar um pouco constrangedor, decidi ir para o jardim, com a desculpa de ir fazer um telefonema.
Sentei-me na relva, a olhar as estrelas. De repente, sinto o meu telemóvel tremer.
- Summer! – Atendi.
- Hey, Cat! Tudo bem? Chegaram bem? Já têm onde ficar?
- Sim. Temos uma casa espectacular, com vizinhos muito simpáticos, e já temos trabalho.
- Uhuhuh! Vizinhos?
- Sim. São os One Direction.
- O quê? Vocês são vizinhas dos One Direction?!
- Yap.
- Mas o Zayn também não faz parte dessa banda?
- Faz.
- Oh my god! Então tu e a Emma reencontraram-no.
- Sim.
- O que se passa? Não me pareces muito feliz.
- Advinha quem está cá em Londres e é amigo  dos One Direction.
- Não! O Tom?
- Sim.
- Oh my god!
- Pois…
- E estás assim por causa dele?
- Não é só por causa dele, também é por causa do Zayn…
- Então?
- O ambiente entre nós está estranho e, à bocado, íamo-nos beijando.
- Hum… E isso é mau?
- Claro que é mau. Eu assim fico mais confusa do que já estou.
- E estás confusa porquê?
- Porque… Olha, porque os sentimentos que eu tinha pelo Tom estão a voltar. E depois é o Zayn, que está diferente, para melhor, percebes? Está mais sociável, mais amigo do seu amigo, mais divertido… Sinto-me bem com ele…
- Hum… E com o Tom? Sentes-te bem?
- Sim, com o Tom sinto-me ainda melhor.
- Pronto, aí tens a tua resposta.
- Não sei…
- Com o tempo vais saber, amor. Olha, vou passar à minha mãe. Ela está desesperada para falar contigo.
- Ok. Obrigada pelos conselhos.
- Não tens de quê. Beijinhos para ti e para a Emma.
- Beijinhos.
- Catelyn, minha querida. Como estão? Estão a dar-se bem por aí?
- Lydia, não te preocupes. Nós estamos bem.
- Hum… Está bem! Ouvi a Sum dizer que tinam reencontrado o Tom, é verdade?
- Sim.
- Oh! Então dá-lhe um beijinho meu e diz-lhe que tenho muitas saudades.
- Serão entregues.
- Vá, minha querida. Já não vos vou chatear mais. Beijinhos. Vão dando noticias.
- Claro. Beijinhos.
E desliguei.
Fiquei a pensar nos conselhos da Summer.
- Posso?
Olho para cima. Era o Tom.
- Claro. – Respondi, sorrindo.
Ele sentou-se.
- Então? Estavas a falar com quem, ao telemóvel?
- Com a Summer e a Lydia.
- Oh! Como é que elas estão? Tenho tantas saudades.
- Elas também e mandaram-te um beijinho.
- E não mo vais entregar? – Perguntou, com um sorriso matreiro.
Quando lhe ia dar o beijinho, ele volta a cabeça e acabo por lhe dar um beijo nos lábios. Ao principio fiquei um pouco surpreendida e pensei em afastar-me e sair dali. Mas depois, quando ele põe a mão na minha face e com a outra me puxa mais para ele, percebi que ele queria aquilo tanto quanto eu. Deixei-me levar e aproveitei o momento ao máximo.
Rompemos o beijo, ofegantes, mas continuamos com as testas unidas, a olhar-nos nos olhos.
O meu coração batia a mil à hora. Aquilo parecia um sonho. E eu acordei para a realidade…
Afastei-me dele, com as lágrimas nos olhos. Ele olha para mim, confuso.
- Isto não devia ter acontecido… - Murmurei, levantando-me de um salto e caminhando para a porta.
- Cat! Espera! – Dizia o Tom, atrás de mim. Mas eu não parei. Cheguei à sala, despedindo-me de todos.
- Bom, pessoal. Vou para casa. Até amanhã!
- Mas… Cat! Queres que vá contigo? – Perguntou a Emma.
- Não. Fica. Tens a tua chave, não tens?
- Tenho, mas…
- Então pronto. Qualquer coisa eu estou aqui ao lado, ok?
Lá ao fundo consegui ouvir o Tom a chamar por mim e a caminhar até à sala. O meu coração começou a acelerar.
- Vá. Até amanhã! – Dei um beijo na face à Emma e sai dali.
Ele ia-me apanhando, à porta de casa, mas eu entrei a tempo. Ainda o ouvi a bater à porta.
Corri escada a cima e tranquei-me no quarto.
Sentei-me na cheselong, agarrada à almofada.
Comecei a chorar sem parar. Veio-me à lembrança o beijo que dei ao Tom à anos a trás e a Lydia a entrar no quarto e a dar a noticia de que o Tom tinha sido adoptado, e depois, o dia em que ele se foi embora…
Eu não quero que ele se vá embora outra vez. Não quero voltar a sofrer… Percebem agora porque é que eu fugi?
Depois de tanto chorar, adormeci.

Ah! Pois. Esqueci-me de vos dizer quem são a Summer e a Lydia… Bem, a Lydia é a diretora do centro. Ela sempre nos ajudou muito e deu-nos sempre o que podia. A Summer é a filha dela, tem a mesma idade que nós, sempre fomos muito amigas, mas a amizade é mais entre mim e ela do que entre ela e a Emma, apesar de também gostarem muito uma da outra. Por isso, basicamente, a Lydia é a nossa “mãe” e a Summer a nossa “irmã”.

Summer

(Para a Lydia não consegui encontrar nada de jeito)

Aqui está o tão espera Capitulo 4 :)
Espero que tenham gostado ^^
Dêem opiniões, por favor, é muito importante para mim :)
Beijinhos.

P.s.: Já que só houve uma pessoa a participar, o passatempo fica sem efeito. Com muita pena minha, mas pronto...
  


sexta-feira, 26 de abril de 2013

Olá! : ) Como estão??
Hoje acaba o tempo para comentarem os vosso temas, e ainda não à nenhuns... Vamos lá, participem, não tenham medo  : )  Agora têm até à meia noite de amanha para comentarem os vossos temas, se ninguem participar, não vou continuar com o passatempo...


P.s.: Vou tentar publicar a minha história hoje, mas não prometo nada : P

domingo, 21 de abril de 2013

Olá ^^ Como estão?
Bem, apesar de ter muitas visualizações, estou a ver que não tenho ninguém a participar no passatempo. Vamos lá, têm até sexta-feira para comentar o vossos temas.

P.s.: Hoje vou ver se consigo publicar o capitulo 4 da "will calm storm", mas não prometo nada.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Olá : D Tudo bem?
Estou um pouco triste, porque não houve quase ninguém a dar a sua opinião em relação ao meu ultimo post... Mas pronto, vou lançar o passatempo na mesma, e vai ser hoje : D Vamos lá ver como é que isto corre...

Então é assim, têm até ás 15h00 da próxima sexta-feira, para comentar aqui os vossos temas. Podem propor o que quiserem, o que vos vier à cabeça no momento, mesmo que seja muito disparatado : ) Na próxima sexta irei explicar a próxima fase deste passatempo.

Vá, para a semana espero ter muitos temas para escolher ^^
Beijinhos.

domingo, 14 de abril de 2013

Proposta :D

Olá! : ) Como foi o vosso fim-de-semana? O meu foi bom, mas podia ter sido melhor... Mas bem, queria fazer-vos uma Proposta. Tive a ideia de fazer uma espécie de passatempo, tipo, vocês darem-me alguns temas que gostem e depois eu vou  escolher 3 desses temas e esses 3 temas vão ser explorados, por vocês, durante 3 semanas (um tema em cada semana). Durante a semana de cada tema, vocês vão mandar os vossos textos (sobre o tema em exploração) para o meu email (que direi quando o passatempo for lançado), e à medida que forem aparecendo, eu vou mandando as minhas apreciações aos autores desses textos. Depois, selecciono os melhores e publico aqui no blog.
Que dizem? Eu achei esta ideia espetacular ^^ E também vai ser bom para mim, para desenvolver a minha capacidade de critica. Ok. Digam-me o que acham e depois falamos.
Beijinhos ^^

P.s.: Penso que vão ter de esperar umas semaninhas pela continuação da minha história. O capitulo já está feito, mas ainda não o passei para o Pc, por isso vão ter de esperar. Desculpem... Para compensar o tempo, prometo que o capitulo vai ser grande : )


quarta-feira, 10 de abril de 2013

Music



Esta musica é dos Evanescence e retrata bem o titulo da minha história " Will Calm Storm". Foi a Sara, a minha melhor amiga, que me disse isso e eu não queria deixar de partilhar isto com as minhas leitoras ^^
Digam-me, acham mesmo que esta musica retrata bem o titulo da minha história?
Esta é a pergunta que vos deixo para esta noite.
Amanhã quero ver muitas resposta :D
Até amanhã!
Boas leituras ^^

Capitulo 3


(…)
- Bem me parecia que tínhamos vizinhos novos. - Ouviu-se uma voz dizer.
- Vizinhas, queres tu dizer. - Ouviu-se outra.
- E boas. - E outra.
- Fogo, oh Harry, só pensas nisso. - E mais outra.
- O que é que estão aí a fazer? - E mais outra, mas mais abafada.
Parámos a brincadeira.
- Ouviste o mesmo que eu? - Perguntou a Emma.
Abanei a cabeça, afirmativamente.
Saímos da piscina e fomos para ao pé da vedação.
Eu subi primeiro, só que, nesse momento, alguém subia também, o que me assustou e fez cair para trás.
Não sei o que me aconteceu depois, acho que perdi os sentidos, ou assim, porque acordei no sofá, com pessoas á minha volta.
- Ufa! Estava a ver que tinha de te levar ao hóspital. - Disse uma dessas pessoas.
A minha visão estava a ficar mais nitida...
- Oh my God! - Gritei, quando reparei quem eram.
- Calma, está tudo bem! - Disse o...
- Zayn?!
- Sim, é o meu nome. Despacha-te, Emma. Ela já acordou.
Oh my God, a Emma.
- Emma! - Chamei-a.
Ela apareceu, segundos depois.
- Pronto, eu estou aqui.
- O que é que aconteceu? - Perguntei.
- Bem, tu caiste da vedação, depois o Zayn saltou-a para vir ver como estavas, pegou-te ao colo e trousse-te para dentro.
Olhei para ele. Ele sorriu-me. desviei o olhar, envergonhada.
- E os outros?
- Nós viemos pela porta, não te preocupes. - Disse o de blusa às riscas, que pôs toda a gente a rir. - Já agora, sou o Louis.
- Liam! - disse o de blusa branca.
- Harry! - O de cabelo aos caracois.
- E eu sou o Nial! - O lourinho.
- E a mim já conheces. - Disse o Zayn.
- Muito prazer...
- Prazer é na cama, querida. - Disse o Harry.
Rimo-nos todos.
- Adiante. Sou a Catelyn e esta é a Emma.
- Nós já sabemos. - Informou o Liam.
- Ai sim? – Perguntei, virando-me para a Emma.
- Apresentámo-nos à pouco, antes de acordares.
Passamos o resto da tarde lá em casa, a falar, a conhecer-nos melhor. Eu e o Zayn estávamos só aos olhares um ao outro, o que foi estranho.
- Querem vir jantar lá a casa? – Propôs o Liam, a certa altura.
- Bem...
- Sim, claro. – Respondeu a Emma. – Mas, hoje?
- Sim. - Respondeu ele.  
- Ok. Só precisamos de tomar um banho e mudar de roupa.
- Claros, não se preocupem. – Disse o Liam. – Nós ainda vamos fazer o jantar, por isso.
- Quando estiverem despachadas vão lá ter, moramos mesmo aqui ao lado. – Informou o Zayn.
Até fiquei admirada. O Zayn nunca foi muito sociável, apesar de ser o mais giro da escola, nunca foi muito popular, só entre as raparigas, vá.
- Hei! E eu não tenho poder de decisão, não? – Barafustei.
- Desculpa. Podes falar. – Murmurou o Zayn, sorrindo.
- Desculpem, mas eu vou recusar o vosso convite, não estou com grande espírito para festas.
- Oh! Não é festa nenhuma, é só um jantar. – Assegurou o Liam.
- Anda lá, vai ser divertido. – Garantiu a Emma.
Começaram todos a suplicar para eu ir, incluindo o Zayn. Lá tive de aceitar, não é, senão morria ali, derretida. E sim, por causa do Zayn.
- Yei! – Fizeram uma grande festa.
Enfim, eles foram para a casa ao lado fazer o jantar, enquanto nós mudávamos de roupa.
- Eles são muito simpáticos, não achas? – Perguntou a Emma.
- Sim. – Respondi.
- Tu e o Zayn estiveram sempre aos olhares…
- Pronto, já sabia. Emma, põe isto na tua cabeça: não vai haver nada entre mim e o Zayn, nada.
- Não foi o que pareceu, mas pronto.
Mandei-lhe um olhar “matador”.
- Ok, já percebi. – E correu escada a cima.
Fui atrás dela.
- Estavas a falar de mim, mas eu também vi os teus olhares com o Harry.
- Oh! Ele é que estava a olhar para mim. Parecia que me queria comer.
Ri-me.
- E se calhar até queria, e tu também queres, admite lá.
- Cala-te. – Disse ela, mandando-me uma almofada.
- Ah! Agora não gostas, não é? – Disse eu, rindo-me e mandando-lhe a almofada de volta.
Fui para o meu quarto tomar um banho. Depois, vesti umas calças de ganga  e uma blusa roxa, de malha e os meus ténis pretos.
Fui ver se a Emma já estava pronta.
- Emma! – Bati á porta. – Já estás pronta?
- Quase. – Ouviu-se ela dizer, do outro lado da porta.
- Eu estou lá em baixo á tua espera.
- Ok.
Fui para a sala, e sentei-me no sofá…a pensar…a pensar no que aconteceu durante o dia inteiro. Primeiro, matamos dois coelhos de uma cajadada só, arranjando trabalho e um sitio onde ficar; a seguir, foi voltar a ver o Zayn, o que me fez sentir…diferente; depois, bem, depois foi reencontrar o Tom, um amor de infância à muito esquecido. E será que voltou? Perguntam vocês. Realmente não sei, ainda é muito cedo para saber, o tempo o dirá; e por último, conheci os amigos do Zayn que constituem os One Direction.
- Cat! Cat! Estás a ouvir-me? Cat! – Dizia a Emma, interrompendo os meus pensamentos.
- Hã! – “Acordei”.
- Vamos?
- Ah! Sim, vamos.
Lá fomos. Tocamos á campainha. Quem nos veio abrir a porta foi o Louis.
- Olá carrots! Entrem.
Nós sorrimos e entrámos.
- Hum! Que cheirinho. O que é o jantar? – Perguntei.
- Vai ver. – Disse o Harry, da sala.
- Ficas bem? – Perguntei á Emma.
- Catelyn! Fica descansada que ninguém a vai comer. – Disse o Harry.
Eu ri-me.
Segui aquele cheirinho e fui dar à cozinha. Estava lá o Zayn. Ainda pensei se me aproximava ou não. Decidi aproximar-me.
- Ahm! Olá! – Disse eu, a medo.
- Oh! Olá Catelyn! – Disse ele, sorrindo.
- Não sabia que sabias cozinhar.
- Pois, há muita coisa que ainda não sabes.
- “Ainda”? Como assim?
- Há coisas que podes passar a saber, é só quereres.
“Uau, bela resposta”, pensei.
- Ahm! – Ok, ele deixou-me sem palavras. – O que é o jantar? – Perguntei, mudando de assunto.
- Bifinhos com cogumelos. Prova. – Respondeu-me, tentando dar-me uma colher de molho à boca, e incentivando-me a aproximar.
Lá me aproximei e ele deu-me a colher á boca.
Todo o tempo que estive com a colher na boca, nós olhávamo-nos nos olhos. Foi um olhar intenso e, pelo menos para ele, com algum significado.
- Então? – Perguntou-me.
- Hum! Está muito bom.
- Então, posso servir o jantar?
- Hum… Sim, acho que sim.
- Ok, então podes ajudar-me a pôr a mesa? – Perguntou-me, sorrindo.
- Sim, claro. – Respondi, sorrindo também.
- Então vamos. Leva essa toalha e os talheres, por favor! – Pediu-me.
Agarrei mas coisas que ele me disse e segui-o até uma sala de jantar. Pusemos a mesa num instante, fruto de um trabalho de equipa.
- Vou chamar os outros. – Avisei.
- E eu vou buscar o jantar.
- Então, até já! – Dissemos, ao mesmo tempo.
Demos uma gargalhada meio nervosa, sorrimos e fomos fazer o que nos competia.
Na sala, estava tudo muito divertido, a jogar playstation, a Emma e o Harry estavam entretidos a conversar e aos sorrisinhos. Tão fofos!
Ainda fiquei parada, á entrada da sala, durante uns minutos, quando o Nial reparou em mim.
- Então? O jantar já está feito? – Quis saber ele. – Estou cheio de fome.
- Até me admirava se não estivesses. – Atirou o Liam.
- Sim, Nial, já está feito, por isso é que eu vim aqui.
- Boa, boa! – Dizia ele, correndo para a sala de jantar.
- Ele é sempre assim? – Pergunta a Emma.
- É, por isso é melhor começares a habituar-te. – Respondeu-lhe o Harry.
Fomos sentar-nos á mesa.
- Ora aqui está! – disse o Zayn, pondo as travessas na mesa. – Espero que esteja ao vosso gosto. – Olhou para mim, sorrindo. Devolvi o sorriso e baixei a cabeça, envergonhada.
Foi um jantar bastante animado, com as brincadeiras do Louis, com as parvoíces perversas do Harry…
Acabamos de jantar. Eles foram todos para a sala. Eu também ia, mas…
- Cat! – Chamaram-me.
Voltei-me. Encontrei o Zayn, com pratos na mão.
- Queres ajudar-me? – Perguntou-me, inclinando a cabeça para o lado e a levantar os pratos que tinha na mão.
- Ahm! Claro. – Aceitei, sorrindo.
Ajudei-o a levantar a mesa e a lavar a louça. Ele a lavar e eu a limpar, os dois lado a lado, calados.
- Cat! – Chama-me o Zayn, a uma certa altura.
- Diz. – Disse eu, virando-me para ele.
Assim que viro a cara para ele, levo com uma mão de espuma na cara.
- Ah! Já vais ver! – Dizendo isto, pego num pouco de espuma e esfrego-lha na cara.
E pronto, começámos a brincar e a rir. O chão da cozinha já estava cheio de espuma e como tenho muita sorte, escorreguei e só não cai com o rabo no chão porque…bem, porque o Zayn agarrou-me nas mãos e puxou-me para ele, o que nos fez ficar super próximos. Sentia a respiração pesada dele na minha face e o seu coração a bater contra o meu peito. Já estávamos a milímetros de nos beijarmos quando… 

Então??  O que acharam?? 
Sim, este deve ser um pouco maior que os outros, mas penso que há pessoas aqui que gostam disso ^^
Olá! :D Tudo bem? Desculpem não me ter despedido ontem, fiquei sem net e já não deu mais... Mas vá, estou a ver que já tenho mais um seguidor ^^ Muito obrigada!
Agora, duas perguntas: Estão a gostar da "Will Calm Storm"?? Quem quer o 3º capitulo??

terça-feira, 9 de abril de 2013

Capitulo 2


Enquanto comia, sentia-me observada. É estranho, não é? Olhei á minha volta, ninguém me olhava, mas continuava a sentir-me observada... Decidi ir á casa de banho. Avisei a Emma e lá fui eu.
Pelo caminho, esbarrei com alguém e cai com o rabo no chão.
- Au! - Queixei-me.
- Oh! Desculpa. Eu sou mesmo desastrado. Deixa-me ajudar-te - disse ele, estendendo-me a mão.
"Espera lá! Eu conheço esta voz de algum lado...", pensei, mas guardei esse pensamento para mim.
Aceitei a ajuda do rapaz e ganhei coragem para encará-lo.
- Oh! My god! - Disse eu, surpreendida.
- Cat?! És mesmo tu?
Abanei a cabeça afirmativamente, ainda em choque.
- Oh my god! És mesmo tu. Não acredito. - Disse ele, abraçando-me de seguida, e eu correspondi, claro.
Que saudades que eu tinha dos abraços quentes e reconfortantes do meu Tommy. Com a emoção, desatei a chorar.
- Oh! Estou a ver que não mudaste nada. - Riu-se. - Tive tantas saudades tuas, pequenina. - Disse ele, apertando-me mais.
- E eu tuas, Tom-Tom. - Sussurrei.
- Ainda te lembras. - Constatou, rindo.
Afastei-me um pouco, para encara-lo. Nem queria acreditar, ele estava na mesma, tinha o mesmo estilo, o mesmo corte de cabelo (curto), os mesmos olhos castanhos que me transmitiam sempre tanta calma, transmitia o mesmo calor... E estava mais giro, como é óbvio.
- Como é que eu me podia esquecer? - Ele sorriu, dando-me um beijo na testa.
- Então? O que estás aqui a fazer? - Perguntou-me.
- Bem, eu e a Emma saímos ontem do centro e decidimos vir para Londres.
- Hum... E já têm trabalho, ou sitio onde ficar?
- Sim, por isso é que estamos aqui.
- Então?
Contei-lhe todo o nosso percurso até aqui. Ele até ficou surpreendido com a nossa sorte.
- Não é toda a gente que consegue uma casa e um trabalho ao mesmo tempo. - Constatou.
E é verdade. Nem toda a gente tem a sorte que nós tivemos.
- Bem, tenho de ir. - Anunciou, olhando para o relógio. - Ainda tens o mesmo número?
- Ahm! Sim. Mas eu não tenho o teu. - Disse eu, coçando a cabeça.
- Então, eu depois ligo-te, para combinarmos qualquer coisa, para falarmos melhor.
- Ok. Vou ficar á espera. - Disse eu, sorrindo.
Ele sorriu também, dando-me um abraço e um beijo na face, e foi-se embora.
Eu fiquei a vê-lo a caminhar para a porta, com um sorriso parvo na cara.

Vou passar a explicar: o Tom foi o meu melhor amigo á uns anos atrás. Quer dizer, ainda é, acho eu... Continuando, ele entrou para o nosso centro de acolhimento dois anos depois de nós. Foi tirado á família, com apenas 4 anos, mas foi entregue a um casal de meia-idade, que morreu um ano depois, entrando no centro com 6 anos.
Ao principio eu não gostava lá muito dele, porque ele parecia um pouco chunga, mas depois fui conhecendo-o melhor até que nos tornámos inseparáveis.
Quando ficámos um pouco mais velhos, lá para os 14/15 anos, eu apaixonei-me por ele e, um dia, estávamos os dois sozinhos, a falar, estávamos muito próximos um do outro e, por impulso, beijei-o... Pois... E por "azar", ele foi adoptado e veio para Londres. Desde ai que não o vejo, nem falo com ele, até aquele dia...

Voltei para o pé da Emma.
- Tanto tempo na casa de banho. O que andaste a fazer?
- Bem, eu não fui á casa de banho... - Confessei, coçando a cabeça.
- Não? - Perguntou a Emma, confusa.
- Não, não cheguei a ir... Encontrei uma pessoa...pelo caminho.
- Ai Jesus! Quem é que tu encontraste?
- Ahm! Lembraste do Tom?
- Claro que me lembro, como é que me podia esquecer. Nós éramos tipo os três mosqueteiros, lembraste?
- Sim. - Ri-me.
Continuamos a falar sobre o Tom e a recordar momentos, enquanto acabávamos de comer.
Acabamos minutos depois. Levamos o tabuleiro para o balcão e fomos esperar a Julie lá para fora. Poucos minutos depois, já estávamos a caminho da nossa nova casa.
Depois de trinta minutos de viagem de carro, parámos á frente de um edifício branco com uma porta preta seguida de uma pequena escadaria. O edifício era lindo, tinha adornos e assim. Saímos do carro.
- É aqui? - Perguntei.
- É. - Respondeu-me a Julie. - Aqui têm as chaves. - Disse ela, entregando-as á Emma. - É uma para cada uma e outra para reserva. Tomem também o meu número, para o caso de precisarem de alguma coisa. - Informou-nos, e deu-nos um cartão com os seus contactos. - E pronto... Ah! Ao fundo da rua têm uma mercearia, onde podem comprar mantimentos. Pronto, agora estão por vossa conta. Se precisarem de alguma coisa não hesitem em ligar.
- Obrigada por tudo, Julie. - Agradeceu a Emma.
- Oh! Não precisam de agradecer. - Atalhou ela. - Vá, agora vão, e desfrutem da nova casa. - Disse ela, sorrindo.
E nós fomos, depois de nos despedirmos devidamente da Julie.
Demos uns passos até ás escadas. Parámos lá á frente, olhamos uma para a outra, sorrimos, demos as mãos e subimos.
A Emma pôs a chave na fechadura, rodando a mesma. A porta abriu-se Nós sustemos a respiração.
Para começar, um pequeno hall de entrada com uns cabides, do lado esquerdo da porta, e uma escadaria, do lado direito.
Entramos. Deixamos as malas á entrada e continuamos a explorar.
A sala, my god! As paredes são todas de um lilás clarinho; mais ou menos ao meio da sala, um sofá branco, médio; á frente do mesmo, uma mezinha de centro, redonda e de vidro, depois, um móvel com um plasma em cima; atrás do sofá, uma estante, com alguns livros e, do lado esquerdo do sofá, um pequeno sofá, igualmente branco.
- Isto parece que foi feito para nó... - Observou a Emma.
Realmente, parecia mesmo...
Prosseguimos para a cozinha, que é á frente da sala. É uma cozinha normal, toda em branco e com uma mesa para quatro pessoas e com as respectivas cadeiras.
Passamos para o andar de cima. No cimo das escadas, encontramos um corredor com uma porta do lado esquerdo e duas do lado direito. Por instinto, escolhi a do lado esquerdo. A Emma escolheu a do lado das escadas. Abrimos as portas as duas ao mesmo tempo.
- Uau! - Exclamamos, em uníssono.
Quando abri a porta, deparei-me com um quarto de sonho, é a minha cara, o que é estranho, mas pronto, vou passar a descrevê-lo: as paredes são de um azul-bebé, com uma cama, relativamente grande, encostada á parede, com um edredão branco e duas almofadas e outras duas azul bebé, do lado esquerdo da cama, uma mesinha de cabeceira, branca, com um candeeiro azul e branco, uma moldura e uma caixinha de jóias vermelha, ao pé da janela, uma chesselongue azul, com uma almofada da mesma cor, atrás, uma estante, branca, com alguns livros, e do lado direito, uma escrevaninha branca, com uma cadeira de escritório da mesma cor. No lado esquerdo da cama, ao lado da mesinha de cabeceira, reparei que havia uma entrada. Fui até lá e entrei. Quando se entra, vê-se uma porta, branca, mas essa deixei para depois. Virei-me para o lado e acendi a luz.
- Oh my god! - Exclamei, levando a mão á boca.
Eu nem queria acreditar, um closet, só para mim. Dirigi-me á tal porta, abrindo-a. Uma casa de banho, também era azul-bebé e branca e tinha um polibam e uma banheira, relativamente grande.
Decidi ir á janela. "Uh! Uma varanda", pensei. Abri a janela, que é de correr, e avancei. Olhei para baixo e deparei-me com...UMA PESCINA!
- Emma! - Gritei.
Ela chegou ao pé de mim, segundos depois.
- Uau! O teu quarto é brutal. - Observou. - O que se passa?
- Vê com os teus próprios olhos. - Afastei-me e ela avançou, olhando para baixo.
- Oh my god! Nós temos uma piscina! - E foi a correr lá para baixo.
Fui atrás dela, mas antes, fui espreitar o quarto dela. É parecido ao meu, só que é vermelho e branco. Lá fui eu para baixo.
O que vai dar á piscina é a janela da sala, igual á minha.
A Emma já estava lá dentro.
- Entraste na piscina, com este frio!?
- Sim. Está mesmo boa. Anda também.
- Não, obrigada.
- Ok, então ajuda-me a sair. - Pediu-me, esticando o braço.
Como boa amiga que sou, fui ajudá-la, só que, no momento em que a puxei para fora, ela puxa-me para dentro.
- Arg! Vais pagá-las, Emma! - Ameacei.
Ela ria-se á gargalhada.
- O que vais fazer? Afogar-me? - Dizia, entre gargalhadas.
Foi a gota de água. Nadei até ela, e comecei a mandar-lhe água á cara, e ela à minha.
(...)



Olá! :D Como estão hoje? Eu cá sinto-me super contente ^^ Hoje fui fazer uma mudança de visual e sinto-me super gira e leve. Mas bem, vamos ao que interessa, não é? O que acharam deste novo capitulo?? Vocês vão adorar os próximos capítulos ^^ Mas vá, agora lêem este e eu talvez ponha o capitulo 3 ainda hoje, mas isso só depende de vocês. Dêem-me 3 comentários e eu ponho, ok? ^^

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Capitulo 1 :D


A primeira coisa que fizemos, quando chegamos lá, foi procurar um sítio onde ficar. Mas não encontrámos nada compatível com a quantidade de dinheiro que tínhamos, que era pouco. Aí, comecei a ver a situação um pouco preta mas, depois, vi um raio de esperança: um café, com um cartaz a dizer que estavam com falta de pessoal.
Arrastei a Emma até lá. Entramos de rompante, pela porta a dentro. Uma rapariga, que estava atrás do balcão, olhou para nós, espantada. Aproxima-mo-nos e pedimos para falar com a proprietária do café. A rapariga nada nos disse, só se dignou a virar-nos costas, passando por um porta que estava atrás. Entendemos que ia buscar a proprietária. E não é que foi mesmo. Dez minutos depois, voltou, com uma mulher de meia-idade atrás.
- Boa tarde! O que desejam as meninas? – Perguntou-nos, sorrindo.
- Bem, nós vimos o cartaz que está lá fora e queríamos candidatar-nos ao trabalho. – Respondi, retribuindo o sorriso.
- Hum… Vamos sentar-nos. Acompanhem-me.
Fomos sentar-nos numa mesa do fundo. Lá, eu e a Emma apresentá-mo-nos à Julie, que é como ela se chama, e contámos a nossa história. No final, ela ficou bastante sensibilizada, com o que lhe contámos, e deu-nos o trabalho, o que nos deixou extremamente felizes. Depois, perguntou-nos se já tínhamos onde ficar. Dissemos que não. Até dei um salto na cadeira, quando ela nos disse que tinha uma correnteza de casas perto dali e que nos ia dar uma delas. Dois problemas resolvidos de uma vez só, que alivio.
- Muito obrigada, D. Julie! – Agradecemos.
- Tratem-me só por Julie, por favor! E não têm de quê! – Atalhou, sorrindo. – Eu vou só buscar o contrato de trabalho e as chaves da casa, volto já!
Ficamos sozinhas, por momentos. Começamos a falar sobre o que nos tinha acabado de acontecer:
- Não acredito! Já temos trabalho e um sítio onde ficar. Isto parece um sonho. – Disse a Emma.
- Não Emma, é a pura realidade, acredita.
- Como é que será a casa?
- Não sei, depois logo vemos…
- Oh my god!
- O que foi? – Segui o seu olhar. – É o…
- … Zayn Malik! – Gritamos as duas, ao mesmo tempo.
Gritamos tão alto, mas tão alto, que ele ouviu e olhou para nós, assustado. De repente, os nossos olhares cruzam-se. Ele estava com um brilho tão estranho nos olhos, enquanto me olhava. Na verdade, eu também me senti estranha. Ficamos uns bons minutos assim, parecia que não estava ninguém à nossa volta, até ouvir a Emma a chamar por mim:
- Car?! Cat?! Está a ouvir? Cat?!
- Hã? O que foi? – “Acordei”.
- O de foi isto?
- O quê? – Perguntei, confusa.
- Tu sabes muito bem do que eu estou a falar.
- Olha, se queres que te diga, nem eu sei. Agora, por favor, podemos acabar com esta conversa?
- Tudo bem! Mas que isto vai dar muito que falar, vai.
Mandei-lhe um olhar de má.
- Ok! Ok! Já não digo mais nada.

Ah! Pois… Não cheguei a explicar quem é o Zayn Malik, mas acho que ainda vou a tempo: o Zayn Malik era, nem mais nem menos que o rapaz mais giro da escola e era da nossa turma. No ano passado ele entrou para um programa de talentos do Reino Unido, com uns amigos. Ficaram em 2º lugar e tiveram direito a gravar um disco, da qual tiveram grande sucesso. Mas, como eu não ligo muito a coisas de famosos, desde que ele se foi embora que não sei nada dele.

Dez minutos depois, a Julie voltou, com um molho de papéis na mão.
- Aqui têm o contrato. – Murmurou ela, depositando o molho de folhas à nossa frente. – A última folha é o comprovativo de que a casa passa a ser vossa.
- E o que é que isso significa? – Perguntei.
- É um documento que passa a casa para vosso nome.
- Isso quer dizer que a casa é...nossa? - Quis saber a Emma, a medo.
- Sim, isso mesmo. - Confirmou, sorrindo. - Agora vou deixar-vos sós, para poderem ler tudo, com muita atenção. Se tiverem alguma dúvida é só chamarem. - E foi-se embora.

Eu estava boquiaberta.
Quando a Julie disse que nos ia dar uma casa, nunca pensei que fosse mesmo dar, dar.
Olhei para a Emma, ela também me olhava. Sorrimos. Não fomos capazes de dizer nada, porque o que sentíamos não tinha palavras.
Debruça-mo-nos sobre os papeis e começamos a ler.
De repente, o Zayn veio-me ao pensamento e, por puro instinto, olhei para o balcão. Ele já não estava lá. Para meu espanto, senti-me triste...
Porquê? Porque é que me sinto assim?
Passado meia hora, depois de lermos tudo com atenção redobrada, assinamos os papeis e mandamos chamar a Julie. Ela veio, dez minutos depois, com um tabuleiro cheio de comida, dois envelopes e umas chaves.
- Mandei fazer este tabuleiro com comida, para vocês. Imagino que ainda não devem ter comido nada.
- Não era preciso, mas obrigada. - Agradeci.
- Não precisam de agradecer. - Disse ela, sorrindo. - Já assinaram tudo? Leram com atenção?
- Sim, estam aqui. - Disse a Emma, entregando os papeis.
- Muito bem. - Murmurava ela, enquanto folheava o molho de folhas. - Vá, agora comam. Ah! Nesses envelopes têm dez mil dólares para...
- What? - Gritamos nós, em uníssono.
- Sim, dez dólares, para comprarem o que quiserem e para ficarem mais desafogadas durante este mês.
- Durante este mês? Como assim? - Perguntou a Emma.
- Vamos fazer umas obras, mudar o conceito do café. - Explicou a Julie. - Vamos mudar a decoração e o nome.
Eu e a Emma olhamos uma para a outra.
- Vá, agora comam, para irem ver a casa. - E, dizendo isto, foi-se embora.


Pronto, fiquei tão contente com os comentários que recebi na introdução, que tive de publicar o primeiro capitulo hoje. Espero que não se importem ^^ Ahahahah! Vá, espero que gostem, e comentem a vossa opinião.

Bem, sendo assim, temos o capitulo 2 amanhã ^^
Beijinhos.
Boas leituras ^^ 

Introdução


O meu nome é Catelyn Jones, tenho 18 anos e, neste momento, estou a viver em Londres, com a minha melhor amiga, a Emma Campbel, que ainda tem 17 anos. Nasci em Bradford, no dia 24 de Julho. Vivi 4 anos da minha vida feliz, até ao dia em que os meus pais sofreram um acidente de viação e morreram. A partir daí, vivi num centro de acolhimento, onde conheci a Emma. Ela também tinha acabado de entrar no centro, quase pelas mesmas razões que eu. Ficamos no mesmo quarto. Quando entrei, ela estava num canto, a chorar. Fui ter com ela e sentei-me ao seu lado. Segundos depois, ela aproxima-se, muito devagarinho, e encosta a cabeça no meu ombro. E ficámos assim, até que adormecemos. A partir de esse dia, nunca mais nos separamos. Ultrapassamos tudo juntas e, como temos histórias parecidas, isso aproximou-nos ainda mais.
No ano passado saímos do centro de acolhimento e fomos à procura da felicidade, para outra cidade. Londres foi a nossa eleita…

Ora aqui têm a introdução.
Digam-me a vossa opinião ^^
Aviso já que os capítulos vão ser grandes, para agrado de muita gente, mas acho que vou dividir os que forem muito grandes em duas ou três parte, conforme o tamanho, vá, por isso, preparem-se :D


Ahhhhhhhhhh! Oh meu Deus! Já tenho 2 seguidores :D Estou tão contente *.* E espero vir a ter mais ^^


Bem, não sei se venho mais hoje, por isso até amanhã! ^^ sim, porque eu amanhã venho publicar o 1º capitulo da "Will calm storm".
Beijinhos.
Boas leituras ^^ 

domingo, 7 de abril de 2013

Bem, por hoje é tudo. E, já que ainda ninguém comentou na apresentação das personagens, só irei publicar a introdução amanhã, em principio.
Como eu disse ontem, no meu primeiro post, usem e abusem deste blog, dêem a vossa opinião.
Beijinhos.
Até amanhã!

Will calm storm - Apresentação das personagens

Catelyn Jones - é morena, cabelos encaracolados, de olhos castanhos, é uma rapariga simples e um pouco tímida  com quem não conhece, mas divertida e faladora, com quem conhece, não gosta de ser o centro das atenções, é apaixonada por fotografia.



Emma Campbel - é ruiva, cabelos encaracolados, curto, de olhos castanhos, é divertida e extrovertida, adora dançar ballet e o seu grande sonho é ser dançarina profissional.



Tom Wynne - é moreno, cabelo curto, quase a formar uma pequena crista, olhos castanhos, é simpático, carinhoso, muito amigo do seu amigo.


One Direction



Estas são apenas algumas das personagens, as outras vão conhecendo ao longo da história.



Digam-me se gostaram destas personagens e se querem que publique a verdadeira introdução.
Obrigada ^^





Hello! Cá estou eu outra vez :D
Só vim dizer que agora vou lanchar e depois venho pôr a introdução da história, como vos prometi.
Até já! ^^

sábado, 6 de abril de 2013

Bloguezinhos!!! :P

Primeiro que tudo, queria divulgar aqui uns bloguezinhos. São da minha melhor amiga, a Sara ^^
Aqui estão:
http://esfemeublog.blogspot.pt/;
http://sagafugitiva.blogspot.pt/2012/10/resumo-do-livro.html.

Amanhã vou publicar a introdução de uma história que estou a escrever sobre os One Direction :D

Bom, acho que por hoje é tudo.
Beijinhos.
Até amanhã!

               

Boas Vindas!

Olá!
Bem, para ser sincera, nem sei o que dizer. Apenas digo que , neste blog, vou ser eu mesma e vou tentar ser activa, mas digo-vos que vai ser difícil. Aqui vou escrever tudo o que me vier na alma e vou divulgar algumas das minhas histórias.
Espero que gostem do meu blog e desfrutem ao máximo dele!
Beijinhos.
Boas leituras! ^^